A Revolução Constitucionalista de 1932 foi o movimento armado pelo qual o Estado de São Paulo buscava derrubar o governo provisório do então presidente Getúlio Vargas e convocar uma Assembleia Nacional Constituinte.

O levante armado começou de fato em 9 de julho de 1932, após a morte de quatro jovens, durante protestos. Foi organizado um movimento clandestino denominado MMDC (iniciais dos nomes dos quatro jovens mortos: Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo). 

Atualmente, o dia 9 de julho, que marca o início da Revolução de 1932, é feriado estadual em SP. Os paulistas consideram a Revolução Constitucionalista como sendo o maior movimento cívico de sua história.

No total, foram 3 meses de conflito – até 4 de outubro. Apesar da derrota do movimento, algumas de suas principais reivindicações foram obtidas posteriormente. Como por exemplo a convocação de uma Assembleia Constituinte e a promulgação de uma nova Constituição em 1934.